ALL BLACK MODE

Digam o que quiserem, sou fã incondicional e adepta assumida do look “all black”. Sim, usar preto da cabeça aos pés. Que a cor preta na roupa é conhecida por trazer sofisticação quase instantânea e é uma opção segura para aquelas que preferem não arriscar, isso todas nós sabemos. Mas algumas ainda relutam em ir “all the way” com um look de peças e sobreposições em preto por pensar que pode ficar muito pesado ou com um ar fúnebre… de facto há quem goste de mais cor e não se imagina toda de preto. Como sempre digo, na moda o importante é se conhecer e saber aquilo que nos faz mais felizes, com o qual nos identificamos. E a cor da roupa é comprovado ter um poder terapêutico na nossa psiquê. No entanto para outras (como eu) o preto produz efeito contrário, dá vida, faz sentir bem e com força. Por isso não tenho medo de abusar desta cor e estimulo fazer igual quem sinta o mesmo que eu! O look all black já não é sinónimo de velório! É forte e elegante ao mesmo tempo. Para inspirar este vício, ficam aqui algumas boas ideias…. 🙂

GO CHUNKY AND COMFY IN SWEATERS!

Não tem nada melhor que ser abraçada por uma boa malha larga de tricot no frio… Podem não ser as peças mais sensuais muitas vezes e outras até acrescentam uma boa dose de volume ao corpo. Mas não importa! Moda também é a necessidade de conforto. E o facto é que hoje estes chamados “chuncky sweaters” são peças-chave de um guarda-roupa de inverno. Algumas marcas trabalham nesta linha com modelos que são verdadeiras obras de arte e dignas de qualquer ocasião, até as mais formais. Já não existe aquela linha forte na moda que separava o formal do informal. Ela é hoje mais tênue e a graça está em arriscar, misturar os estilos. Para isso uns chunky knit (este tricot grande e largo) com uma saia lápis ou uma mini para sair a noite pode resultar muito bem! Em outra ocasião, podem usar esta mesma peça com umas calças jeans num fim de semana descontraído e o look é outro. O que se mantém é o conforto e o ar despretencioso que esta peça traz (e eu particularmente adoro). Então resgate os seus chunky sweaters antigos ou adquira uns lindos novos e abuse deles neste frio que vem aí…

CROPPED FLARE: DO YOU DARE?

Tenho que admitir que algumas tendências são mais difíceis que outras.. E logo quando surgem causam algum estranhamento por quebrar o que antes tínhamos com regras de proporções, formas, combinações… Mas a moda é isso mesmo, um desafio e a quebra de padrões. E a verdade é que, quase sempre, depois de tanto vermos nas ruas, acaba-se por aceitar naturalmente. Uma tendência que antes era impensável se torna comum e até, muitas vezes, viram desejo dpara os mais simples mortais! Acho que é o que está acontecendo com as “cropped flares” (calças boca de sino curtas!). No início estranhei, mas agora, depois de alguns meses e alguns bons looks de inspiração, já passo a gostar e até cogito adquirir umas… Mas ainda assim é para ter algum cuidado com esta peça e saber combinar com outras que a valorizem. Uma calça que termine no meio da canela corta o comprimento da perna, encurtando-a. Se não tiver pernas muito longas, aconselho ou evitar (e apostar numas flares normais) ou usar com umas botas de salto alto e canos compridos (que “entrem” na boca da calça e não se veja a perna). Isso vai dar uma sensação de alongamento. Ou então use com sandálias e sapatos cavados (sem tiras, com o peito dos pés livres). Mas como sempre digo, faça como se sentir bem! Ousar com uns bons tenis também fica super cool se for este o seu estilo (adoro do contraste hi-lo que este look traz!). Então, para começarem a pensar no assunto, fica aqui uma galeria com bons looks de inspiração! Quem sabe… 🙂

EMMANUELLE ALT: MASTERING THE MINIMAL-COOL DRESSING

Num mundo onde somos bombardeados por imagens de “street style” todos os dias, algumas figuras acabam por se destacar. Cada uma com seu estilo próprio, estilo este que acaba por se tornar sua “assinatura” pessoal. É o caso dela: Emmanuelle Alt, diretora de moda da Vogue Paris e presença constante nas fotos tiradas especialmente durante as fashion weeks. Emanuelle se tornou conhecida por dominar na perfeição o estilo minimalista com um toque contemporâneo, ou seja, por saber fazer muito com pouco. Talvez por isso eu goste tanto do seu estilo pessoal. É um desafio conseguir ser apontada como um ícone de estilo sem precisar marcar presença com as grandes criações ou peças que facilmente de destacam. Conseguir com peças tão básicas e neutras (e com muito preto) ser considerada uma referência no vestir. Aliado a uma postura clássica e elegante, Emmanuelle Alt encontra sempre um pequeno pormenor para quebrar o tédio do minimalismo: um apontamento no acessório, um casaco forte, um corte impecável, uma bainha irreverente… Como diretora de moda de uma das revistas de maior notoriedade no meio, em um país que respira moda, não poderia ser diferente. E tiro o chapéu. Aqui deixo uma singela homenagem ao estilo desta mulher que sem dúvida admiro! Merci Miss Alt 🙂

ALBER ELBAZ LEAVING LANVIN: 14 YEARS DOING MAGIC FOR THE FRENCH HOUSE

Onde há fumaça há fogo, já dizia a minha avó. Uma grande verdade na maioria das vezes. Desde ontem que começamos a ouvir rumores sobre a saída do designer Alber Elbaz de uma das mais respeitadas (e maravilhosas) casas Francesas, a Lanvin. E de facto hoje se tornou oficial: Alber está mesmo de saída da Lanvin depois de 14 anos de pura mágica. Nos últimos tempos tivemos notícias semelhantes, como a saída de Raf Simons da Dior. Mas não posso esconder que a notícia da saída de Alber me deixou mais triste… por razões pessoais e por tudo que o designer fez em 14 anos de casa. Nem todos (fora do mundo da moda) sabem o valor da Lanvin. A marca francesa é uma das mais antigas na história da moda. E para mim Elbaz soube na perfeição, ao longo destes anos, como a trazer de volta ao topo das casas internacionais, inovando mas ao mesmo tempo respeitando por completo a sua identidade. Elbaz foi um mágico, um senhor discreto que traduziu o que era a Lanvin contemporânea. A arte dos detalhes colocados da forma mais elegante e discreta, a construção das peças como uma escultura, o drapeado perfeito, a assimetria elegante, as formas a criarem movimento. Isso sem falar dos acessórios de sonho! De sapatos a bolsas ou mesmo às bijuterias de luxo que se tornaram referência no meio. Ele sabia o que fazer para encantar. Ao menos a mim sempre encantou e fez da Lanvin uma das minhas casas preferidas… Não posso evitar ficar triste com a notícia. Mas confio que saibam o que fazem e que tanto a marca coloque alguém à altura, quanto Alber Elbaz continue fazendo a sua mágica onde quer que seja.

Aqui deixo uma homenagem com a escolha de algumas imagens Lanvin por Alber Elbaz. E um obrigado a este grande homem <3

MIX AND DON´T MATCH: WILD PRINTS

Com o quase fim dos desfiles das semanas de moda PV 16, já muita coisa pode ser dita do que vem, do que vai e do que permanece… Mas não é nesse post que vou falar sobre todas as tendências vistas. Aqui só reforço uma: abusem do mix nos prints! Sim, sem medo! Misture estampas como se não houvessem regras, só a vontade de brincar com cores e formas. Desde estampas grandes com estampas pequenas até às geométricas com florais, o que continua com tudo é ver que a moda está liberta e leve! Aproveitem!